Receba Nosso Feed

Receba Todas as Nossas Atualizações em Seu E-mail:

Páginas

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

As dores de um lindo Ministério




As dores de um lindo Ministério

Certa vez, ouvi de um pastor, que o Ministério de Deus na vida de uma pessoa é um chamado à dor. Isso faz muito sentido pra mim. Acredito que se engana aquele que espera que o seu ministério seja só de sorrisos e alegrias. Porque se observarmos o ministério de Jesus, veremos que os momentos mais marcantes foram registrados em meio à dor. Concluí que o sentido de um ministério caminha na direção contrária ao que se espera de comodidade e conforto.

Lidar e envolver-se com as dores dos outros faz parte da vida daquele que compreende o que é chorar com os choram. Assim como vivenciar as alegrias dos outros, nos alegram tanto quanto as nossas.

Muitos se cansam e ficam desanimados durante a jornada. Afinal, nesse caminho há mais dores visíveis do que prazeres. A própria palavra de Deus nos orienta, no momento em que Jesus falava com seus discípulos em João 16:20 que em alguns momentos ficaremos tristes, mas que há um propósito e um sentido no sofrimento - Digo que certamente vocês chorarão e se lamentarão, mas o mundo se alegrará. Vocês se entristecerão, mas a tristeza de vocês se transformará em alegria. Jesus está dizendo que a morte dEle os entristeceria momentaneamente, mas que todos encontrariam o sentido de tudo em Sua dor e sacrifício. E para que prossigamos firmes em nossos chamados, saibamos que assim também nos será.

Se ampliarmos mais a nossa visão, veremos que há sentido na dor, na decepção, na solidão. Afinal, quantas famílias estão de pé, porque você se disponibilizou em oração e aconselhamento? Quantas almas foram alcançadas através do seu “sim”? Quantas pessoas estão de pé porque você aceitou a dor de prosseguir em seu lindo ministério?

Saiba que em seu ministério você passará crises, conflitos, dúvidas, lágrimas, desânimo, solidão, quedas, desprezo, vontade de desistir e de sumir, e até sentir medo. Mas Deus, em todos esses momentos estará com você.

Você precisa saber que, como pessoa, é inevitável que essas coisas não te atinjam. Mas como você lida com essas mazelas é que faz a diferença. Hoje, eu te faço uma pergunta. A mesma que Jesus fez aos seus discípulos: “- Filho, onde está a tua fé?”

Entenda! Ter Fé não significa que você não terá medo. Ter Fé não significa que você não terá dúvidas. 
Ter Fé significa que você tem uma ferramenta eficaz contra o medo, a dúvida, e todas as outras crises que, por acaso, lhe sobrevenham. 

Sem Fé, você sentirá medo. Com Fé, também. Porém, com Fé, você terá medo, mas o medo não lhe deterá. Com Fé você terá dúvidas, mas elas não lhe deterão. Porque a Fé te faz subjugar essas coisas. Em Mateus 15:28, uma mulher com sua filha doente e oprimida por espíritos malignos teve Fé no Poder de Jesus para curá-la, e assim aconteceu, conforme foi a sua Fé.

Você pode estar desanimado agora, mas o que importa e o que mostra - pra você mesmo - que realmente você tem uma Fé – não apenas da boca pra fora – é a forma como você reage ao desânimo. 

Não adianta anunciar uma Fé que não se utiliza. Se você não usa a sua Fé, é certo que você sofre em cada crise. Você está sendo vítima da sua própria incredulidade – não confessada –, e prossegue enganando-se. 

Por isso, creia que Deus tem um chamado, e um lindo ministério – não para o seu benefício, mas para o bem do outro e o crescimento do Reino de Deus – para atravessar as crises, as dores e todas as outras mazelas do mundo. 

Creia que para esta missão Ele Te deu a sua Fé – no Poder de Jesus – para que com ela você possa vencer o mundo. O que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé. 1 João 5:4
E essa é a vitória que almejamos em nossos ministérios. A mesma vitória que o Apóstolo Paulo declarou em 2Timóteo 4:7: Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé. Paulo diz, por último “guardei a fé”. É como se ele estivesse enfatizando que combateu o bom combate, terminou a corrida, e principalmente, guardou a Fé. Guardar a Fé é o segredo de quem vence o mundo e suas mazelas.

Se você tem medo ou dúvidas, lembre-se que sua Fé precisa ser usada. Use a sua Fé. 

E se você reconhece que é pequena a sua Fé, confesse para Jesus, assim como fizeram os discípulos dEle no Evangelho de Lucas 17:5: “Diante disso, pediram os apóstolos ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!””. 

E se lhe falta fé, clame ao Senhor Jesus como fez o pai de um jovem que reconheceu sua incredulidade, no Evangelho de Marcos 9:22b-24: Todavia, se Tu podes fazer algo, tem compaixão de nós e, de alguma maneira, ajuda-nos!”. “Se podes?”, contestou-lhe Jesus: “Tudo é possível para aquele que crê!”.  Imediatamente o pai do menino asseverou: “Creio! Ajuda-me a vencer a minha falta de fé”.

Jesus é o Autor e Consumador da nossa Fé. Hebreus 12:2

Confie em Jesus: Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês, vai completá-la até o dia de Cristo Jesus. Filipenses 1:6

O ministério não é uma carreira, mas sim, uma missão. E Ele te capacitou para isso. Creia. 
Ele nos capacitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do Espírito; porquanto a letra mata, mas o Espírito vivifica! 2Coríntios 3:6

Você crê? Onde está a sua Fé?


Flademir Bernardo


sexta-feira, 5 de maio de 2017

Tenha paciência!



Você já percebeu que, hoje em dia, pedir a alguém para ter paciência é como ativar a impaciência dessa pessoa? Quando você diz: “Fulano, tenha paciência!” Esse pedido toma uma conotação de afronta. As pessoas estão mais preparadas para lidar com as emoções que se externam do que as que se internalizam. E a paciência é algo interno que protege do externo.

A paciência é uma virtude que você precisa dominar. Em alguns casos, é preciso descobri-la.
E o mais curioso é que se descobre a paciência no meio da turbulência. Nunca na calmaria. Ela surge no momento em que não se quer tê-la. Porque aplicar a paciência é lutar consigo mesmo. É você contra você mesmo.

A paciência vem, de presente, no pacote da mansidão. E tudo isso está relacionado à sabedoria. Lidar com as situações mais difíceis, nos momentos mais difíceis.
É quando se quer responder a uma afronta, e não o faz. A origem da palavra paciência vem do Latim “patientia” resistência – de “pati” “sofrer, agüentar”.
O sofrimento pela paciência é benéfico. Esse sofrimento é menor do que o sofrimento causado pela ausência de paciência.

A paciência é um escudo para as “patias” físicas e psicológicas. Por exemplo, as preocupações, as provocações, muitas vezes, e inesperadamente, de dentro de casa, causam transtorno aos relacionamentos e, conseqüentemente, sofrimento psicológico àqueles que não se prepararam para suportar. Quando este escudo está sensível, ele se racha e dá passagem ao desespero, a ira, e a outras intemperanças.

Na Palavra de Deus diz: “A sabedoria do homem lhe dá paciência; sua glória é ignorar as ofensas”. Provérbios 19:11

Quando você dá força às coisas/pessoas que te machucam você fica e indefeso e ansioso. Não estou dizendo que você deve levar pancada calado. Mas que, na sabedoria, a agressão não terá seus efeitos, visto que a ofensa será menor do que a certeza de que o choro pode durar uma noite, mas a alegria virá pela manhã. Deus é justo juiz.

Paciência não serve para aguardar a vingança. Ela serve para perceber o melhor momento do “pedir perdão”, e “do perdoar”. Essa é a função da paciência. Unir, e não separar. Resistir, e não desistir.
Ninguém perde a paciência. Apenas, a deixa de lado. Se presenteie com a experiência de usar mais a sua paciência.

Deus lhe abençoe!


Flademir Bernardo

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Efeito Placebo

Carnaval ou noivado?



É lamentável. Passeando pelas redes sociais, tenho visto a quantidade de jovens garotas com as seguintes frases nos seus status: “Porque logo agora?” “Deus, me ajuda!” ou “Estava tudo tão lindo”.

Quem não conhece alguém que teve seu namoro ou noivado terminado recentemente? E o que agrava a situação, e qualifica como relacionamentos sem substância, é o fato de serem findados justamente no período que antecede grandes festas ou “farras”.

E pelo fato de que essas jovens fazem a si mesmas esses questionamentos — “por quê?”, “dessa forma?”, “será que vou suportar?” — entendemos, de forma implícita, que não houve motivo justo, ou mesmo, se houve um motivo real para o fim desse relacionamento. Não adianta tentar entender. Nesse caso, não há o que entender. Já está nítido que nunca houve sentimento sincero. O que adianta, é querer acreditar que o melhor a se fazer é agradecer a Deus por ser sempre presente, e por lhe dar forças para suprir o vazio do relacionamento vazio que você iria viver caso o outro não tivesse demonstrado que, pra ele, o que interessa em você é o seu corpo, curtir a vida, aproveitar momentos com “a galera”, e experimentar outras “gatinhas”. Felizmente, pode-se dizer, na verdade, que você “pulou uma fogueira”, e das grandes.

Agradeça, realmente, a Deus por isso.

Não aceite placebo. O que significa isso? Vou explicar!

Pode ser que o “ex” volte todo “manso” — pós-folia — querendo reatar o relacionamento depois de ter aproveitado “todas”. E nesse momento é que identificamos o efeito Placebo. Esse efeito refere-se a uma droga ou remédio, como se diz: pílula de farinha, que é administrado ao paciente para que ele tenha a impressão de que está sendo medicado de forma eficaz, quando na verdade, serve apenas para beneficiá-lo psicologicamente. Ou seja, não serve para nada; finge ser o que não é; mascara a verdade, mas mesmo assim o paciente quer porque quer o comprimido.

Não aceitar o relacionamento placebo é rejeitar um relacionamento unilateral, sem amor mútuo, baseado em interesses que beneficiam apenas um dos envolvidos. Aceitar o placebo é saber que esse “vai e vem” — pré-carnaval — acontecerá de novo e de novo, e assim você estará concordando em levar isso para um futuro casamento. E você pode até amá-lo, mas o placebo só vai te satisfazer psicologicamente, e não vai corresponder às suas expectativas.

Portanto, não aceite que você esteja sujeita a vontade de alguém que não te valoriza. O primeiro ponto a se observar para saber se o relacionamento é saudável é perceber-se digno ou digna de respeito por si próprio, assim como da pessoa que você se relaciona.

Não seja teste de ninguém. Você não é rascunho, é obra prima do Senhor.

Veja o que a Bíblia diz:

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.Eclesiastes 3:1
“Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;Eclesiastes 3:5
“Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.Eclesiastes 3:8

Bom é confiar em Deus e esperar nEle.
Quem ama, cuida.


“O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” 1 Coríntios 13:4-7

Deus os abençoe!

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

A quem devo amar?



Jesus ama a quem O AMA e a quem NÃO O AMA; e quer que você ame a quem TE AMA e a quem NÃO TE AMA.

Perceba que Jesus, após a ceia (um momento de comunhão), lavou os pés dos discípulos. Ele lavou os pés de TODOS os discípulos. Um por um. Vale salientar que, nesse ato de amor, Ele já sabia quem iria traí-lo. E demonstrou isso dizendo: "Vós estais limpos, mas nem todos".
Ele estava se referindo a Judas Iscariotes. Ele lavou os pés dos discípulos que, surpreendidos com tal atitude de amor, ainda não haviam entendido que naquele momento O Senhor já estava perdoando a Judas — o traidor.
Quando ele disse: Vocês ainda não entenderam o que fiz, mas vão entender logo. Fiz isso para servir de exemplo a ser seguido por vocês e repassado para os demais.
João 13:4-15

Jesus ceiou com seus amados discípulos e lavou seus pés, incluindo os de Judas. Este que foi perdoado pela traição, mas acabou pecando novamente ao cometer o suicídio.

Coincidência ou não... É apenas uma curiosidade...
Judas, discípulo, cuidava dos recursos advindos das doações dos seguidores de Cristo. Ele era o tesoureiro.
30 moedas de pratas foi o preço requerido por Ele para entregar Jesus nas mãos dos sacerdotes. O amor ao dinheiro é a raiz de todos os males...

Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.” 1 Timóteo 6:9-10

Todos devemos lutar por nossos sonhos, estudar para alcançar nossos objetivos. Queremos ter o melhor para nós, e isso não é pecado!
Mas não sobreponha sua vontade acima da de Deus. Não sobreponha as coisas acima das pessoas.

Amar as pessoas e não as coisas.

Deus os abençoe!
Compartilhe essa mensagem!

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Você quer ficar comigo ?




(*) QUANDO EU ERA DO MUNDO, disse e ouvi bastante essa frase: "— Como é que pode? Quando estava só, não aparecia ninguém e agora que estou com alguém, aparecem várias "possibilidades"".

Queridos, essa frase ainda rola solta por aí. É fácil ouvi-la na boca de jovens que "ficam". E é uma frase que, pelo visto, nunca vai deixar de ser dita.
Entenda por que!
Basta lembrar-se do que está escrito na Palavra de Deus, quando Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto para ser tentado pelo diabo. Notem que, exatamente no momento em que Jesus estava faminto, após um jejum de 40 dias, o diabo se aproximou oferecendo a possibilidade de saciá-lo; ele também pusera todos os reinos da terra diante do Mestre tentando extrair da humanidade de Jesus, algum vestígio de corrupção e fraqueza; insistiu para que nosso Senhor invocasse aos anjos, para tentar a Deus, evidenciando o Seu poder e Sua missão de Filho do Homem.

O inimigo deseja nos enganar a todo o momento. Quando estamos fracos ou fortalecidos, sempre há uma estratégia para tentar nos derrubar.

Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Tiago 4:7

Aprendi na Palavra de Deus que o mal nunca descansa. Em nenhum momento, um demônio dirá: "— Vou já! Estou com preguiça!" A Bíblia diz que os filhos das trevas são mais astutos que os filhos da luz.

Não pense que nos momentos em que você se encontra mais debilitado, você tem a prerrogativa de dar uma escapadinha, cometer um pecadinho sutil sem ser apanhado pelo inimigo. É nessa "brecha", nesse "vacilo" que podemos ser capturados e não apenas isso. Destruídos, roubados ou mortos.

O inimigo não brinca. Cuide para não cair. (1 Coríntios 10:12)
O processo é nos tornar "cegamente-críticos", entristecidos, frustrados e fracos. Então ele parte pra cima com tudo. A partir daí, ele aproveita a sua fraqueza e frustração e vem te "consolar" com os melhores pratos. Aqueles que te fazem pensar: "Show! Isso vale à pena!" 

Sabe por que "ficar" é do diabo?
Entenda bem isso!

Primeiramente, preciso esclarecer porque aquela frase no início desse texto nunca deixará de ser pronunciada. Como eu disse, o inimigo não descansa. Se você é um "ficante", então, provavelmente, já repetiu essa mesma frase (*) "Parece uma coisa! Quanto estou só... blá blá blá!
Olha só! Nós somos seres sociais. Deus nos fez homem e mulher, respectivamente, um para o outro. O "Ficar" de hoje é bem diferente do "ficar" de antes, que também não deixava de ser do diabo. "Ficar" é ter um relacionamento temporário, talvez, escondido, sem compromisso e sem sentimentos concretos com outra pessoa. Hoje, o "ficar" evoluiu, ou melhor, involuiu. É possível que o "ficante" além de beijar, abraçar e acariciar alguém sem compromisso, também faça sexo sem compromisso com a outra pessoa.
Isso vai de encontro com o que aprendemos na Palavra de Deus. Jesus como o noivo, não "ficante", nem "namorado", aguarda sua noiva, virgem e com as vestes nupciais alvas, sem mácula.

Você que é "ficante" não tem ninguém para "ficar", e passa muito tempo sem ninguém, e de repente aparece outra "ficante", e surge mais outra, e mais outra... Sabe por que isso acontece?
Porque o inimigo gosta de ver as pessoas maculando suas vestes. Porque o inimigo quer ver você pendurado em várias bocas. Ele gosta de ouvir o seu nome rodando entre as pessoas, sendo tachado(a) de fácil, galinha, doidinho(a), gostoso(a), safado(a), enfim.

Nas baladas principalmente, nós vemos muitas semelhanças com os cachorros. Eles ficam farejando a garupa das cadelinhas que estão no cio. Nessa brincadeira, a cadela acaba cruzando com vários deles.

Dizem por aí que é preciso experimentar o produto para saber se é bom.
1° - Jovem, você não é um produto. Você não foi criada em uma linha de produção industrial divina para ser considerada um simples produto. Nem tampouco, precisa passar por qualquer análise de qualidade, baseada nesses critérios imorais para ser determinado o seu valor.
O seu valor é o preço do sangue de Jesus.

2° - Ninguém se casa com outra pessoa porque o beijo é bom, o abraço é apertado ou sexo é agradável.  Nos casamos porque amamos, e o amor ultrapassa essas coisas. Casamento não é só beijo, nem só abraço, nem só sexo. Casamento é amor, companheirismo, alegria, cuidar do outro na doença, confiança, fidelidade...
Você casa com o ser, na totalidade, e não com as partes íntimas deste ser.

Acabe com essas desculpinhas. Mude esses critérios mundanos.  

3° - Se você não é produto, não se ofereça. Não se exponha. Não fique à mostra na vitrine. Tenha pudor. Respeite-se! Respeite seus pais. Respeite o teu Criador. 

Vemos jovens se expondo seminuas nas redes sociais como um pedaço de bolo em um expositor de padaria. Elas buscam popularidade, reconhecimento, “curtidas”, comentários. Querem aparecer. Atrair os olhares. Querem se sentir desejadas. Não lêem a Bíblia, não se importam com a aparência do mal, afirmando que estão com a consciência limpa, e que a maldade está nos olhos de quem vê.

“não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus. Tiago 4:4

Jesus ensina aos seus discípulos o perigo de ser uma pedra de tropeço na vida daqueles que buscam a Deus, referindo-se a um menino. Humildade, inocência, dependência, fragilidade são características de uma criança. E as igrejas estão cheias de "meninos", de pessoas que carregam esses atributos. Assim como também, doentes carentes de cura e libertação.

"mas quem puser uma pedra de tropeço no caminho de um destes pequeninos que crêem em mim, melhor seria que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e que fosse lançado no fundo do mar.
Ai do mundo por causa dos tropeços! Porque é necessário que apareçam tropeços; mas ai daquele por quem vem o tropeço!" Mateus 18:6-7

Você quer "ficar"?

Esse é, realmente, um convite a ficar pra trás. Assim como ficaram as virgens imprudentes que não estavam preparadas para as bodas.

Quando alguém lhe perguntar: — Você quer ficar comigo?
- A resposta é: "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma."
1 Coríntios 6:12

"Esforcem-se para viver em paz com todos e para serem santos; sem santidade ninguém verá o Senhor."
Hebreus 12:14

Deus os abençoe.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Meu fardo é pesado


"Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus" ( Mt 5:20 )


Os religiosos vestem-se com túnicas enfeitadas, longos mantos e gostam de expor suas boas ações, anulando publicamente as práticas pecaminosas, por menores que sejam, dando uma “aliviada” na autoconsciência. Propositadamente enganam-se e forjam para os outros um belo testemunho.
Cobram uma santidade inumana e não chegam nem perto de cumprirem essas exigências. É como se o pecado quando revelado no outro, este é abominável, mas quando é consigo, o pecado é irrelevante, é pecadinho. Pecar de forma oculta é melhor do que expor o pecado? Melhor que não pequem. Se quem peca e oculta, acha que pode julgar quem peca e expõe, então ninguém julga o que oculta o pecado?


O ambiente puramente religioso propicia esse baile de máscaras, mas o olhar cristão, ou seja, olhar como Cristo vê, quebra esse paradigma.  Olhar como Cristo, é ver o humano e não constranger o pecador, pois o incômodo vem de si mesmo ao sentir que está sendo alvo de um amor imerecido, e que está sendo observado por alguém que a partir daquele momento torna-se desejado, no sentido de querer estar para sempre perto d’Ele.

Eu admiro as pessoas que sobem no altar, corajosamente, quase todos os domingos, buscando a reconciliação com Cristo, pois esses estão constantemente limpando a casa e não acumulando lixo, pra não dizer “pecados ocultos”. Deve ser normal que seus lábios pronunciem palavras do tipo – “Tem misericórdia de mim!” “Eu não agüento mais ser assim!” “Eu não agüento mais conviver com esse pecado!” “Olha pra mim Senhor!”

Assim, é importante que para que alcancemos o Reino dos céus, confessemos ao Senhor os nossos pecados e não tomarmos o lugar de juízes, pois só há um juiz e este não é julgado. Ele é Santo! Só Ele é Santo!

terça-feira, 11 de junho de 2013

Vai um pedaço de carne aí?





Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.
1 Coríntios 6:12
Não tenho dúvidas de que muitos cristãos, nesses últimos anos, vêm se questionando quanto ao que diz respeito ao valor moral e conceito de espiritualidade observados na sociedade no decorrer do tempo. É nítido como esses valores e conceitos vêm a cada dia distando mais e mais daquilo que se é aprendido no seio de uma família cristã.

Há uma grande preocupação que permeia por entre os pais dos filhos destas gerações atuais. Hoje, os casais que sonham em ser pais já não se sentem tão seguros e certos de que seus filhos estarão imunes à esse avanço de promiscuidade e precocidade sexual.

A imoralidade foi lentamente, na verdade, sorrateiramente infiltrando-se e atingindo a inocência das crianças. A nudez estampada nas emissoras de tv de canal aberto; Músicas como "na boquinha da garrafa" do grupo É o tchan, "sabão crá-crá" dos Mamonas Assassinas, dentre outras, embalaram festinhas infantis com crianças vestidas de dançarina em movimentos sensualmente infantilizados. 

Esses "eventos" foram marcando as gerações, "precocizando" atitudes e idéias nas crianças, maculando os valores morais da família cristã. As crianças foram crescendo cercadas de imoralidade, agora, alguns adolescentes, jovens e adultos carregam em si, lembranças agradáveis de uma infância "divertida". Nas escolas, vemos garotinhas imitando dançarinas de um grupo chamado "bonde das maravilhas", fazendo movimentos sexuais em trajes vulgares às vistas de adultos que acham normal ou até bonitinho, engraçadinho. 

"Baba, baby"
As redes sociais têm sua contribuição na divulgação dessa promiscuidade agora transparente. Digo transparente, porque como uma porta de vidro, quase não se vê, deixando a dúvida: "Está aberta ou fechada?" Até que se chegue perto. Está ali, mas não parece.
Muitos jovens e até adultos cada vez mais querem mostrar algo na internet. Seja o que for. O que vale é passar uma boa impressão às pessoas. Ser interessante, popular, sair do anonimato, tem sido —não vejo outra explicação— o objetivo de tanta exposição.

Somos o lugar da habitação do Espírito Santo.  
Mas afinal, o que há de mau em postar fotos no facebook? Não há nada de mau. Postar fotos não é problema. A questão, na verdade, são as posições, as vestimentas, as caras e bocas, os seios que, propositalmente, saltam dos decotes, as microssaias, enfim, parece que a foto tem o objetivo de fisgar alguém, instigar nos outros algum desejo. 
Não é exagero. Você pode averiguar (até mesmo no seu próprio álbum) como as fotos tiradas em "close" têm menos curtidas, comentários e compartilhamentos do que as fotos de corpo inteiro, na academia ou na praia. 
É comum ver nesses tipos de fotos, as pérolas do tipo: "me dá teu telefone!", "gostaria de falar com você no batepapo", "ah lá em casa!". São frases que por si só demonstram, muitas vezes, a intenção "predatória" daqueles que comentam essas postagens. 

"Um tira-gosto"
Que tal ser mais uma ou mais um na vida de alguém? É assim quando o(a) jovem vive passando entre braços e abraços, ficando com pessoas em relacionamentos passageiros e sem compromisso, e consequentemente desagradando à Deus.
Vou citar os cachorros como exemplo para explicar essa idéia de ficar com um e com outro, essa exposição do corpo.
Quando estamos com um pedaço suculento de carne nas mãos e oferecemos isso aos cachorros, eles vão ficar latindo, pulando, pedindo até conseguir esse pedaço. Esses cachorros não vão desistir, e ainda que comam o pedaço de carne e lhes seja novamente oferecido outro, não vão rejeitar até que finalmente estejam satisfeitos. 
Você se torna esse pedaço de carne quando está se expondo na internet, os comentários dos "lobinhos" são a manifestação de desejo dos cachorros famintos. Ficar não é nada mais nada menos que dar o pedaço de carne para esses "animais", que quando estiverem satisfeitos e tiverem conseguido o que desejavam, simplesmente vão ignorar o pedaço de carne até que venha a fome, ou tenham enjoado de "picanha", desejando novamente a "maminha".
Agindo dessa forma você está dizendo: vai um pedaço de carne aí?Como que estivesse se oferecendo, e isso não é algo que Jesus gostaria de ouvir você dizer. Muitos desses encontram-se ainda em processo de libertação, e eu te pergunto: "- O que essa exposição sensual tem gerado no teu próximo?"
Então você pode responder: "É só essa pessoa não acessar minhas fotos." Nesse caso, fica claro que não somente essa pessoa, mas também você precisa de libertação. Como está escrito:
"Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma." 1 Coríntios 6:12
Apesar de parecer uma crítica pessoal a quem está nessa condição, vou antecipando que não é. Isso é zelo de Deus pelos príncipes e princesas que Ele tanto ama. 
Não é pelo fato de que todos estão fazendo, que eu posso fazer também. Está escrito: "Vós sois o sal da terra. Se o sal perde o sabor, com que lhe será restituído o sabor? Para nada mais serve senão para ser lançado fora e calcado pelos homens." Mateus 5:13

Nem toda boa intenção é uma boa invenção.
Algumas campanhas ditas "educativas", na verdade são sofismas, ou seja, idéias mentirosas vestidas com retalhos de verdade. Por exemplo, quem nunca ouviu a expressão "faça sexo seguro!"? Quantas campanhas realizadas? Quantos preservativos e manuais de sexo "seguro" são distribuídos para adolescentes? Quantos jovens iniciaram sua vida sexual confiando nessa "segurança"? Quantos decidiram enveredar pelo sexo antes do casamento escondidos dos pais, "escondidos" de Deus —talvez assim o imaginavam.
Prosseguem na satisfação dos desejos, "seguros" até que um dia, de repente, não haja preservativo. E então? A lascívia impregnada gritando no ouvido do jovem, "atentando" até conseguir consumar.
Que tal mais um pedaço de carne? 

Jesus pagou um preço tão alto por você, e o pecado faz desmerecer o Sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário. Talvez você não saiba o real valor que você tem pra Deus. 
Assim é uma criança que troca uma moeda de 50 centavos por uma de 25 centavos, porque não sabendo o valor real de cada moeda, acha que o tamanho é que estima a sua importância.
Jovens que gostam de se exibir, ostentar, dissimular, enfim; não sabem o valor que têm para Deus. Uma importância que foi negociada e estimada pelo Sacrifício do Cordeiro de Deus.

É bom deixar de mexer com a carne, e trocá-la pelo sangue. O Sangue que lava todos os pecados. Ao invés de oferecer carne, fale do Sangue que foi derramado para a Salvação de todos.

Que Deus o abençoe.
Seja uma fonte de benção. Compartilhe vida e libertação. Divulgue este blog.
Por Flademir Bernardo

Postagens relacionadas