Receba Nosso Feed

Receba Todas as Nossas Atualizações em Seu E-mail:

Páginas

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Guias cegos



“ Respondeu-lhes ele: Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada. Deixai-os; são guias cegos; ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão no barranco.”
Mateus 15.13-14

A Bíblia cita em diversos textos que Jesus combatia muito um grupo de religiosos que viviam preocupados em manter suas tradições e rituais com jogos de aparências, caminhando para um lado completamente oposto às escrituras. Esses eram extremamente “preparados” para julgar e condenar os que não as cumpriam à risca. Eram pessoas que faziam questão de aparentar ser o que não eram. Viviam como juízes e observadores na tentativa de que fossem mantidas as tradições passadas por Deus na antiguidade.

Mas afinal, o que havia de errado em procurar manter viva a tradição, a Lei que o Senhor deixara? O problema não era o cumprimento da Lei do Senhor, mas a hipocrisia cruel que era pregada por esses fariseus. Eles agiam como enganadores, verdadeiros atores, vestiam suas mantas e túnicas e encenavam uma vida de santidade, enquanto que suas atitudes em relação à Lei eram desprezíveis. Estavam preocupados em mostrar aos outros suas vestes impecáveis, seus discursos preparados e orações em meio a multidões.

Em um determinado momento, quando estrategicamente, tentando incriminar Jesus e fazê-lo cair em suas próprias palavras, eles trouxeram uma mulher adúltera, insistindo para que fosse apedrejada conforme a Lei do Senhor. Queriam que Jesus caísse em contradição. Com a visão limitada que tinham sobre amor e tolerância pregada pelo Mestre, eles não esperavam que Jesus os fizesse usar suas próprias consciências. E isso nos chama atenção, pois Jesus verdadeiramente amava aqueles que o viam como um mentiroso, um enganador. Jesus não havia condenado aquela adúltera como os fariseus esperavam e fizeram, como também não saiu de sua boca nenhuma condenação contra os fariseus, mas suas próprias consciências, ao mergulharem no íntimo de seus pecados ocultos revelaram suas mentiras e hipocrisias ao ouvir: “Aquele dentre vós que está sem pecado seja o primeiro que lhe atire uma pedra” João 8.7.

Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada” significa dizer que há um método, uma forma de encontrar a Salvação, e é através de Jesus. Jesus não olha para o seu pecado, mas para o pecador; Ele não veio para os limpos e puros, mas para os doentes. Ele não vem a ti com os braços cruzados e batendo o pé, com olhar de reprovação, dizendo: “Te pequei no flagra!”. Mas diz: “Vinde a mim, todos os que estai cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” Mateus 11.28. O problema não é a roupa que você veste, mas a intenção que há em você para usá-la. Muitas igrejas pregam usos e costumes como padrões de conduta, mas Deus está preocupado com o seu coração. Não é a calça jeans que te faz pecar, mas a vontade em mostrar as curvas do seu corpo, não é a saia acima do joelho, mas a vontade de sentir-se desejada pelos homens, em geral.

Precisamos nos permitir ser orientados por Jesus, pela Palavra de Deus. Fora disso, estamos cegos. Não temos condições de entender, nem tampouco ensinar. Cuidado com doutrinas que ensinam distorções bíblicas. Cuidado com doutrinas que facilitam o acesso as cadeias. Como assim? Existem pastores que se dizem cristãos que ingerem bebidas alcoólicas e ainda permitem que suas ovelhas também o façam. Não ensinam o perigo de se estar à beira do abismo. Um cristão que diz: Uma cervejinha não faz mal. Está brincando com uma arma de satanás. O que pra ele é uma simples bebida, para outros são grandes e terríveis correntes de cadeias que aprisionam e matam milhares de pessoas, destroem milhares de lares e separam cônjuges, filhos, enfim, famílias. A bebida, o cigarro tem uma “vantagem” em relação às outras drogas consideradas ilícitas. Elas têm o direito de promover junto a mídia, a publicidade de suas propagandas enganosas, sempre relacionadas à felicidade, ao sexo, a luxúria. São comerciais que envolvem a pessoa fazendo-a sentir-se livre para beber e fumar, sempre apresentando mulheres esculturais e seminuas em suas propagandas apelativas. Se bem que não se vê mais propagandas de cigarro na TV. Porque será? Será que essa chocante “felicidade e liberdade” que vem estampada nas embalagens de cigarro, estão sendo saboreadas pelos usuários, vivenciando leitos de hospitais e cânceres pulmonares? Se uma bebidinha é permitida, porque o álcool e o cigarro são as drogas que mais matam e viciam pessoas? Sabe por quê? Porque elas são subestimadas.
Muitos cristãos querem ouvir apenas um “talvez”, um “pode ser” ou “não faz tanto mal assim” para dar vazão a sua vontade de pecar, jogando a responsabilidade por suas ações nas costas dos pastores liberais, prevendo Agir como Adão fez quando foi argüido por Deus por ter pecado, dizendo: “A mulher que me deste por companheira deu-me a árvore, e eu comi”. Estarão acusando o seu pastor de ter ensinado assim, não tendo também a menor curiosidade de buscar na Bíblia, a verdade. Afinal, o pecado é saboroso. Perceba que esses liberais agem fora da Palavra, orientando mentiras. São verdadeiros cegos, guiando outros cegos. Uns cegos e outros “cegados”.  Precisamos ser cheios do Espírito Santo para não nos embananar com mentiras emanadas de um coração perverso e pecaminoso, e deixar assim cair as escamas dos olhos para enxergar as verdades de Deus. Somos cegos quando sabemos o que é certo e continuamos cometendo o erro, mas se o erro causa incômodo e vergonha, é porque você tem as ferramentas corretas em sua vida. O Espírito Santo. Ele te incomoda a deixar a prática que te afasta dos seus caminhos. Pior do que ser cegado por alguém, é ser enganado por si mesmo. De qualquer forma, isso te fará cair em um abismo.
Voltando aos usos e costumes; Os fariseus, os “juízes” observam os alcoólatras, os tabagistas, os adúlteros e os definem simplesmente como inadequados. Estes costuram novamente o véu do templo que foi rasgado ao meio com a morte de Jesus na cruz, impedindo que tenham acesso ao Pai por meio da graça, exigindo o cumprimento da tradição, da Lei. Jesus observa os alcoólatras, os tabagistas, os adúlteros, os assassinos, os homossexuais e os chama para serem discipulados e usados como instrumentos de Deus para ajudar outras vidas que muitas vezes estão passando por tentações ou estão acorrentadas as práticas que estes foram libertos, através de um processo de renúncia de si mesmo, sem nunca terem sido identificados por suas práticas pecaminosas, ou seja, Jesus não te chama de adúltero, alcoólatra, drogado, viciado, sodomita ou bandido, mas Ele te chama pelo teu nome. Por que ele vê você e não o seu pecado e o convida a abandonar as velhas práticas.
Tenha uma vida com Jesus, o bom pastor que deu a vida pelas suas ovelhas. Em Cristo você não andará nas trevas, mas sim na luz. E será luz. O que era “cego”, deixará de ser “cego”. O que era “coxo”, deixará de ser “coxo” e será orientado pelo Espírito Santo, na Palavra de Deus.

Que Deus o abençoe.
Seja liberto em Nome de Jesus.
Seja uma fonte de benção. Compartilhe vida e libertação.


Por Flademir Bernardo




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Enriqueça mais essa discussão com seu comentário.

Postagens relacionadas