Receba Nosso Feed

Receba Todas as Nossas Atualizações em Seu E-mail:

Páginas

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Perdoa os meus pecados




“O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia.” Provérbios 28:13

“Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado. (Selá.)” Salmos 32:5

“E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas.
Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade.
Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.”
  1 João 1:5-10

A Palavra de Deus nos incentiva a confessar os nossos pecados ao Senhor, pois Ele é capaz de nos perdoar e purificar. Confessar o pecado não significa simplesmente contar à Deus o que Ele já sabe, pois Deus é onisciente, mas significa arrepender-se verdadeiramente e insistir sinceramente em não cometer mais o pecado. Ao sondar o coração humano, o Senhor consegue acessar sentimentos em áreas que por mais profundos e obscuros que estejam sendo escondidos, são revelados a Ele.
O coração do homem é enganoso, segundo as Escrituras Sagradas. Por isso, devemos confiar no Senhor de todo o nosso coração e não se apoiar em nosso próprio entendimento, como está escrito em Provérbios 3.5.

Ao experimentar o pecado, a pessoa sente uma dose de prazer. Eu comparo essa sensação com a seguinte situação: Uma pessoa vai à praia com os amigos. Afinal, a praia é um lugar de diversão, para relaxar, “desopilar a mente” como dizem por aí.  Então essa pessoa vai dar um mergulho no mar com esses amigos, sendo que eles podem ficar em um lugar com água batendo acima da cintura e sentir que estão ainda em uma zona de segurança. Mas o mar tem ondas, e o movimento dessas águas, juntamente com a suave corrente marinha que está ali, quase despercebida os fazem ir para o fundo. Mas o papo está bom, e uma zona de conforto e falsa segurança criada pela falta de atenção os fazem ir para mais fundo, até o momento em que se torna necessário a intervenção de outras pessoas para ajudar a tirar aqueles jovens dali. Uns são resgatados com mais facilidade que outros que foram para a parte mais funda. Ou seja, pouco a pouco, vamos nos acostumando com o pecado, criando uma falsa sensação de bem estar, que nos cega, impossibilitando identificar os perigos que nos cercam. “Pois a inconstância dos inexperientes os matará, e a falsa segurança dos tolos os destruirá;” Provérbios 1:32

Quando as pessoas descobrem que pecamos, começamos a maquinar meios, estórias e até estratégias para encobrir ou negar a história. E se não é possível encobrir o acontecido, as pessoas costumam plantar em si um sentimento de que aquilo não foi tão grave, de que aquilo foi passageiro e que não vai acontecer de novo, menosprezando o pecado, sem saber que na verdade ele está fortalecendo sua atitude inconscientemente. Pois nesse caso ninguém precisou se arrepender. Não houve interferência, não houve cortes nas raízes do mal. Perceba que se você vê o seu pecado como algo insignificante, sua rejeição a ele está sendo insignificante também. Sendo assim, ainda haverá possibilidade de cometê-lo novamente.

Atitudes como essa, onde não se sente as conseqüências da gravidade do pecado cometido, nos tornam zumbis, verdadeiros mortos-vivos. Insensíveis à culpa, à vergonha, e a dor que causamos aos outros que sofrem por nos amar ou gemem por não ter mais forças para chorar. E a consciência “enlameada”, limpada com pano úmido em contato com poeira , importando somente o reflexo imaculado em um espelho quebrado.

O que acontece nesse caso, e isso é muito perigoso, é a possibilidade de estar pensando ou lembrando-se do pecado sem estar decidido a abandoná-lo.
A Palavra de Deus nos ensina a expor nossas fraquezas, revelar a Ele nossos pensamentos, declarando nossa dependência d’Ele.
Muitas vezes queremos ouvir pessoas que passaram ou experimentaram algo semelhante do que vivemos, sendo que não é a afinidade com alguém que poderá realmente fazer a diferença, mas a maturidade, a sinceridade e a espiritualidade que conta no final. Tenha certeza disso: As verdades muitas vezes machucam, mas as mentiras causam feridas maiores ainda.
Por isso, quando pecamos, precisamos nos reconciliar com Deus. Agindo assim, estamos sendo sinceros com Ele, dizendo: Senhor, eu não quero mais pecar. Me ajuda, Pai.
Estamos nos reconciliando com aquele a quem ofendemos. Estamos demonstrando que amamos à Deus não somente com os lábios, mas com todo o nosso coração, com todo o nosso ser. Quando tomamos Deus por referência em nossas vidas, percebemos que o “pecadinho” se torna enorme. Porque Deus não se mistura com o pecado. Ele é puro.
Precisamos querer estar na Luz, porque as trevas encobrem os pecados, mas a luz os revela.

Nossa consciência precisa estar limpa. Nossas vestes devem ser lavadas pelo sangue de Jesus Cristo.
Precisamos fazer valer em nossas vidas, o sacrifício de Cristo na Cruz.

Precisamos saber tomar decisões importantes e não podemos ficar de braços abertos esperando esse momento chegar.
Correr para a Luz é o primeiro passo a ser dado. Correr para os braços do Pai.

Não se acostume com o esconderijo que permite que suas fraquezas sejam fortalecidas. Quando éramos crianças, nos escondíamos, brincando de esconde-esconde, era bom saber que ninguém podia nos achar. O problema é que na vida real, não se pode brincar com o pecado, muito menos tentar se esconder de Deus. Queira ser encontrado. Permita que Deus te encontre hoje. E confesse a Ele, somente à Ele, o que se passa no teu coração. Ele vai te ouvir, te entender e te ajudar.

Creia nisso. Existem pessoas que te amam e oram por sua vida, para que você não seja atingido pelo inimigo, e ainda que seja atingido, elas oram para que o Senhor te dê força para resistir e ser fortalecido na dificuldade. Coragem!

Ore à Deus, dizendo: Pai, perdoa os meus pecados. Eu não estou conseguindo caminhar sozinho. Eu preciso de Ti ao meu lado. Eu não quero me enganar, nem tentar te enganar. Quero ser sincero. Ajuda-me. Em nome de Jesus.

Deus está contigo!

Que Deus o abençoe.
Seja uma fonte de benção. Compartilhe vida e libertação. Divulgue este blog.


Por Flademir Bernardo


2 comentários:

  1. Amém amado irmão em Cristo Jesus! Teu blog é uma bênção!

    Deus te abençõe!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Adriano,

    Deus é bom!

    Grande abraço irmão.
    Fica na Paz!

    ResponderExcluir

Enriqueça mais essa discussão com seu comentário.

Postagens relacionadas